Sweet Solution: Para vencer uma discussão mesmo estando errado

8

Claro, você nem vence uma discussão se estiver certo! Então, já vamos para o pior caso: quando você está errado, que não é raridade, né sweet? Então meu querido professor, Arthur vai te ensinar a ganhar uma discussão. Que Arthur? Claro, você não o conhece, e talvez só ouviu falar dele. Schopenhauer, Arthur. Facilitou para você agora?

Arthur, foi um filósofo alemão do século XIX da corrente irracionalista (de vertente pessimista). Que nasceu em Danzig, na Prussia, 22 de Fevereiro 1788 e morreu em Frankfurt em 21 de Setembro 1860.

Começou por estudar medicina e depois decidiu-se pela Filosofia. Sem ele, por conseguinte talvez Nietzsche não teria abalado o mundo, pois várias das reflexões de um, estão implícitas e explicitas ligadas ao outro. Assim como, o ponto de partida de Schop, foi Kant.

Enfim, o nosso caro é conhecido pelo seu pessimismo e reclusão diante dos outros. Não o culpo, afinal como você já sabe “estamos rodeados de idiotas”. Enfim, um de seus livro se chama “Como Vencer um Debate Sem Precisar Ter Razão”, curtiram? Então, claro que, escrito no século 19, então alguns encontrariam certa dificuldade em filtrar o útil e aplicável na leitura deste.

Mesmo assim,  a conhecida  “regras do anarquismo intelectual” ou “oratória desonesta”, de Arthur, pode ser de grande auxílio para você, leitor paspalho que não consegue convencer seu gato de comer a ração mais barata. Continuar lendo

Anúncios

Sweet Solution: Para ler/assistir um Shojo de qualidade

4

Antes de mais nada Shōjo é um mangá/anime para garotas. Enfim, o que os faz ficar na maioria das vezes condenado aos 13- anos, como a tão discutida e esquecida Sailor Moon. De qualquer forma, apresento a vocês Vampire Knight, eu não o classificaria como shojo, porque até foi um garoto que me indicou e a maioria das meninas não gosta de sangue, mortes e armas e etc.

Vampire Knight (Cavaleiro Vampiro) é um daqueles animes/series que você lê/assiste tudo muito rápido porque deixa aquele gostinho de “quero mais”.

Assisti e li tudo disponível em+/- uma semana e é um dos meus animes/mangas favoritos e não é porque se trata de um triângulo amoroso de vampiros com uma humana: que é bem batido já né? Mas, porque é realmente viciantes e com personagens muito bem trabalhados, a sua história é intrigante, surpreendente e cheia de subtramas mais complexas. Continuar lendo

Sweet Solution: Para ler um Romance clássico e não se chatear

8

Meu lado mas nerd diz respeito a animes e assombrações, o meu outro lato digamos “culto” é apaixonado por clássico, o seu também, sweet? Agora e se… juntássemos esse clássico com zumbis, ninjas e mestres shaolins? É isso que acontece no livro “Orgulho, Preconceito e Zumbis”. 

A história é 80% a mesma, o que muda mesmo são os extras. Imagine você num baile vitoriano e de repente zumbis invadem essa paisagem e começam a devorar todo mundo? É isso que se passa no livro. Uma pitadinha de emoção no clássico romântico. Não que a intriga matrimonial já não seja emocionante para quem gosta...

“Cuidado com o cérebro, Senhor Darcy!”

Claro que o livro “montou” nessa febre de fantasia sobrenatural macabra que está rolando hoje em dia, mas não deixa de ser interessante. A coleção [Clássicos Fantásticos] do qual faz parte é recheada de releituras dos clássicos e uma boa para quem não gosta de ler “os livros chatos” da escola.

Depois de você ler a versão “bizarra” acaba tendo interesse pela original, pelomenos é o que eu venho vendo acontecer com por exemplo: ” Senhora, a Bruxa” ou “Dom Casmurro e os Discos Voadores” ou até “A escrava Isaura e o Vampiro”. Como poderia ser ruim? Os clássicos que somos “obrigados” a ler de um jeito totalmente remasterizado e eficientes? Continuar lendo

Sweet Solution: Para você aprender a viver com(o) o Dr. House

10

Dr. House: “Acontece que as suas opiniões não dão bons resultados. Aconselho a usar as minhas”.

Se você é um house-maníaco como eu, e está órfão depois que a série acabou-se vai com certeza querer ler: “Dr. House – Um guia para a vida“. Antes de mais nada ignore o fato que é uma “auto-ajuda” porque é a AUTO-AJUDA DO HOUSE. Assim, sweet você poderá aprender o estilo de vida e absorverá a personalidade do seu médico genial favorito.

Classifico-o como o anti-herói das auto ajudas, claro o House é o anti-herói dos médicos: viciou-se em Vicodin, foi preso, manda sua equipe invadir a casa dos pacientes, humilha os membros de sua equipe, desrespeita ordens de seus superiores, faz pouco caso do melhor amigo, pouco se importa com o contato pessoal com seus pacientes, rouba o notebook da namorada, e um monte de outras coisas geniais que não caberiam em uma Bíblia…

Dr. House: Está vendo? Eles assumem que sou um paciente por causa da bengala.

Dr. Wilson: Então use um jaleco branco como nós.

Dr. House: Não quero que pensem que sou médico!

Toni de La Torre, o autor, é um especialista em televisão e tecnologia, e pelo que eu vi um house-maniaco também, o livro tem um quê que o próprio house poderia tê-lo escrito. Basicamente ensina os passos para não encontrar a felicidade: porque ela é chata (quer algo mais House que isso?)!