Sweet Solution: Para ouvir música que faz você querer morrer

8

Calma, sweet! Não estou falando de músicas suícidas, ou de fossa, ou de corno. Estou falando de um bom som em rock alternativo para ouvir até em ocasiões felizes. A banda da vez é The Pretty Reckless!

A linda  Taylor Momsen, ex cocotinha de Gossip Girls, arrasa com sua banda TPR! Junto com os músicos John Secolo, Matt Chiarelli e Nick Carbone (muito bons por sinal), já chegou até a abrir shows de toda uma turnê do mestre da esquisitice com música Marilyn Manson!

O sucesso da banda veio, além dos fãs que a Momsen herdou das Gossip’s que a tornaram ícone do rock fashion, da sua qualidade música dos primeiros singles:  Make Me Wanna Die e Just Tonight. A banda tem influências como:  The Beatles, Led Zeppelin e Nirvana. Continuar lendo

Anúncios

Sweet Solution: Para ler um Romance clássico e não se chatear

8

Meu lado mas nerd diz respeito a animes e assombrações, o meu outro lato digamos “culto” é apaixonado por clássico, o seu também, sweet? Agora e se… juntássemos esse clássico com zumbis, ninjas e mestres shaolins? É isso que acontece no livro “Orgulho, Preconceito e Zumbis”. 

A história é 80% a mesma, o que muda mesmo são os extras. Imagine você num baile vitoriano e de repente zumbis invadem essa paisagem e começam a devorar todo mundo? É isso que se passa no livro. Uma pitadinha de emoção no clássico romântico. Não que a intriga matrimonial já não seja emocionante para quem gosta...

“Cuidado com o cérebro, Senhor Darcy!”

Claro que o livro “montou” nessa febre de fantasia sobrenatural macabra que está rolando hoje em dia, mas não deixa de ser interessante. A coleção [Clássicos Fantásticos] do qual faz parte é recheada de releituras dos clássicos e uma boa para quem não gosta de ler “os livros chatos” da escola.

Depois de você ler a versão “bizarra” acaba tendo interesse pela original, pelomenos é o que eu venho vendo acontecer com por exemplo: ” Senhora, a Bruxa” ou “Dom Casmurro e os Discos Voadores” ou até “A escrava Isaura e o Vampiro”. Como poderia ser ruim? Os clássicos que somos “obrigados” a ler de um jeito totalmente remasterizado e eficientes? Continuar lendo