Sweet Solution: Para ouvir música que faz você querer morrer

8

Calma, sweet! Não estou falando de músicas suícidas, ou de fossa, ou de corno. Estou falando de um bom som em rock alternativo para ouvir até em ocasiões felizes. A banda da vez é The Pretty Reckless!

A linda  Taylor Momsen, ex cocotinha de Gossip Girls, arrasa com sua banda TPR! Junto com os músicos John Secolo, Matt Chiarelli e Nick Carbone (muito bons por sinal), já chegou até a abrir shows de toda uma turnê do mestre da esquisitice com música Marilyn Manson!

O sucesso da banda veio, além dos fãs que a Momsen herdou das Gossip’s que a tornaram ícone do rock fashion, da sua qualidade música dos primeiros singles:  Make Me Wanna Die e Just Tonight. A banda tem influências como:  The Beatles, Led Zeppelin e Nirvana. Continuar lendo

Anúncios

Sweet Solution: Para ler/assistir um Shojo de qualidade

4

Antes de mais nada Shōjo é um mangá/anime para garotas. Enfim, o que os faz ficar na maioria das vezes condenado aos 13- anos, como a tão discutida e esquecida Sailor Moon. De qualquer forma, apresento a vocês Vampire Knight, eu não o classificaria como shojo, porque até foi um garoto que me indicou e a maioria das meninas não gosta de sangue, mortes e armas e etc.

Vampire Knight (Cavaleiro Vampiro) é um daqueles animes/series que você lê/assiste tudo muito rápido porque deixa aquele gostinho de “quero mais”.

Assisti e li tudo disponível em+/- uma semana e é um dos meus animes/mangas favoritos e não é porque se trata de um triângulo amoroso de vampiros com uma humana: que é bem batido já né? Mas, porque é realmente viciantes e com personagens muito bem trabalhados, a sua história é intrigante, surpreendente e cheia de subtramas mais complexas. Continuar lendo

Sweet Solution: Para quem tem uma lista de inimigos e não sabe o que fazer com ela

10

Deixa eu adivinhar? Você tem uma lista enorme de inimigos mortais. E se empenhou muito em aumentá-la ao longo dos anos, um exemplo disso é o doutor Sheldon Cooper do seriado The Big Bang Theory, a sua lista de inimigos é tão antiga que ainda está gravada em disquetes.

Mas, o que fazer com aqueles nomes que incluem aquele fulaninho que quebrou seu brinquedo no jardim de infância e o sua ex que bateu seu carro? O escritor Tsugumi Ōba criou uma série de mangá bem reveladora no quesito “matar inimigos” e limpar o mundo do mal: Death Note (Caderno da Morte) que pode ajudar você.

Sinopse: Um macabro caderno cai nas mãos de um rapaz incrivelmente inteligente. Raito não somente o testa, como consegue fugir sem problemas e por um bom tempo de uma equipe de investigação, sendo um dos homens que o procuram, seu pai. Ele é enfrentado por “L”, o melhor detetive do Japão, e aos poucos consegue até sua confiança, entrando para a equipe.

Conheci Death Note a uns 2 anos e praticante devorei os episódios. É um anime inteligente, não é um história vazia sem conteúdo que você assiste para passar o tempo. Há muito a aprender nas questões de lógica, raciocínio, justiça, como lidar com o poder, etc.

Abaixo estão listados 10 motivos para você gostar: Continuar lendo

Sweet Solution: Para você aprender a viver com(o) o Dr. House

10

Dr. House: “Acontece que as suas opiniões não dão bons resultados. Aconselho a usar as minhas”.

Se você é um house-maníaco como eu, e está órfão depois que a série acabou-se vai com certeza querer ler: “Dr. House – Um guia para a vida“. Antes de mais nada ignore o fato que é uma “auto-ajuda” porque é a AUTO-AJUDA DO HOUSE. Assim, sweet você poderá aprender o estilo de vida e absorverá a personalidade do seu médico genial favorito.

Classifico-o como o anti-herói das auto ajudas, claro o House é o anti-herói dos médicos: viciou-se em Vicodin, foi preso, manda sua equipe invadir a casa dos pacientes, humilha os membros de sua equipe, desrespeita ordens de seus superiores, faz pouco caso do melhor amigo, pouco se importa com o contato pessoal com seus pacientes, rouba o notebook da namorada, e um monte de outras coisas geniais que não caberiam em uma Bíblia…

Dr. House: Está vendo? Eles assumem que sou um paciente por causa da bengala.

Dr. Wilson: Então use um jaleco branco como nós.

Dr. House: Não quero que pensem que sou médico!

Toni de La Torre, o autor, é um especialista em televisão e tecnologia, e pelo que eu vi um house-maniaco também, o livro tem um quê que o próprio house poderia tê-lo escrito. Basicamente ensina os passos para não encontrar a felicidade: porque ela é chata (quer algo mais House que isso?)!